Isadora Oliveira Serpa
Isadora Oliveira Serpa's Blog

Follow

Isadora Oliveira Serpa's Blog

Follow
9 passos importantes para preparar uma palestra

9 passos importantes para preparar uma palestra

Isadora Oliveira Serpa's photo
Isadora Oliveira Serpa
·Jun 18, 2019·

7 min read

Nesse artigo conto como me preparei para apresentar a palestra “Expectativa vs Realidade: A construção de um produto na prática” no The Developers Conference — BH na trilha Gestão de Produtos*.*

1. Conferir a programação do evento

É importante conferir a grade de conteúdos do evento, para entender sobre o que o público está procurando aprender ou saber mais. Isto irá ajudar no planejamento da palestra, pois dessa forma é possível entender qual o conteúdo é mais relevante para a trilha. Por isso, busquei informações sobre o evento e especificamente sobre a trilha de Gestão de Produtos.

Fonte: thedevelopersconference.com.br/tdc/2019/bel..

2. Entender o perfil do público

Neste quesito, ter participado de dois TDCs em Porto Alegre ajudou muito, pois pude perceber que se tratava de um evento de comunidade para comunidade, ou seja, o foco eram cases e palestras mãos na massa. Além disso, na programação do evento é possível conferir o perfil do público, o que também ajuda a entender o contexto. Também foi criado um grupo no whatsapp pelos coordenadores e isso facilitou no momento de planejar a palestra e tirar dúvidas.

3. Ter uma mensagem central e três mensagens principais

A mensagem central da palestra serve para guiar a construção do fluxo dos slides e permite que a história central tenha início, meio e fim.

Na minha apresentação a mensagem principal foi: As expectativas podem ser diferentes da realidade por diversas vezes, por isso é fundamental adaptar as técnicas ao contexto de trabalho e dar o primeiro passo sem esperar as condições ideais.

Já as três mensagens principais foram tópicos para despertar a discussão e reflexão no dia a dia dos profissionais que estavam participando:

a) Colocar na prática: Em tempos de abundância de informação, saber filtrar, adaptar técnicas e colocar na prática é o que realmente faz a diferença. Iniciar experimentos, aprender com cada um deles e tentar novamente, seguindo o fluxo proposto pela metodologia Lean Startup — construção, mensuração, aprendizados.

b) Trabalhar em equipe: No processo de inovação e de desenvolvimento de produto digitais é necessário convergir e divergir para se chegar a uma solução mais inovadora e assertiva. Pensando nisto, é fundamental que o trabalho seja pensado de forma colaborativa e realizado por uma equipe multidisciplinar. Neste contexto, é inevitável pensar em inovação sem relacionar a diversidade, portanto além de colaborativo o trabalho deve contar com pessoas diversas, no que tange área de atuação, perfil e principalmente vivências.

c) Se for para errar, erre rápido e barato: Validar hipóteses e funcionalidades de forma rápida e barata são muito importantes para que o produto evolua e seja cada vez mais assertivo. Além disso, ao trabalhar dessa maneira é possível minimizar riscos através desses experimentos.

4. Contar uma história

Ter uma apresentação com storytelling é um ótimo caminho para engajar e se relacionar com a audiência. Quando se conta uma história, as pessoas conseguem entender o início, meio e fim da sua apresentação e se interessam pelo andamento do que está sendo contado. Quando uma boa história é compartilhada quem assiste é impactado e instigado a refletir sobre os aspectos citados.

Existem alguns exemplos que podem ser úteis no momento de contar histórias:

  • Foco no consumidor: A história conta como o seu produto e/ou serviço resolveu uma necessidade específica ou resolveu um problema das pessoas que utilizam o produto.
  • Foco na empresa: Como sua empresa se tornou o que é atualmente ou algo que foi realizado na sua empresa que gerou um impacto que vale a pena ser compartilhado. Foco em processo, metodologia, cultura.
  • Foco no desenvolvimento de um produto: Como foi desenvolvido e ofertado um novo produto ou serviço. Foco no processo de concepção, desenvolvimento e entrega do produto para mercado.

Este último exemplo com foco no desenvolvimento de um produto foi o que utilizei em minha apresentação. Contei como construímos o novo aplicativo do Sicredi, focando no processo de discovery e delivery do produto.

5. Embasar os argumentos

É importante incluir na apresentação ao longos dos slides ou no fim, as referências que foram utilizadas. Além de dar credibilidade aos autores, demonstra que houve estudo e embasamento sobre os temas e autores relevantes para o assunto que está sendo tratado.

Neste tópico, é importante ressaltar que é necessário manter o equilíbrio entre referências e histórias práticas. Por isso, no momento de desenvolver o material, é interessante unir referências a algo prático, incluindo exemplos do cotidiano já utilizados. No meu caso, utilizei as referências como tópicos para contar sobre os meus aprendizados durante o processo de construção deste novo aplicativo.

6. Contar com a ajuda de outras pessoas

Ainda que a apresentação seja feita por uma só pessoa, é muito bom poder contar com especialistas e colegas para sugerirem melhorias e feedbacks. Ter pessoas com outro olhar e percepção sobre o que está sendo construído pode ser muito rico.

Durante o momento de elaborar a apresentação, procurei ter feedbacks recorrentes de alguns colegas do trabalho de diferentes áreas. Dessa forma, consegui entender se a mensagem central estava evidente e se o conteúdo traduzia o que eu estava querendo contar. Ouvi cada um deles e enquanto conversávamos ia tomando nota de pontos do que precisavam ser ajustados no material. Da primeira versão até a última antes do evento houveram diversos ajustes e com o tempo a apresentação foi tomando forma.

7. Caprichar no template

O design da apresentação afeta como a audiência vai perceber o conteúdo. Mesmo que o conteúdo esteja memorizado e seja um assunto de domínio, a apresentação precisa apoiar o que está sendo falado. Uma abordagem interessante é destacar tópicos no slide, sem preencher com muito texto como se fosse um artigo. As pessoas que estão ouvindo provavelmente estão em busca de depoimentos e aprendizados.

Para fazer a apresentação do TDC — BH utilizei o canva.com, ferramenta online bem legal, com templates que dão sugestão de cores, imagens e elementos. No meu caso escolhi um template e fui adaptando conforme o que queria passar. No meio do caminho escolhi utilizar GIFs, e como esse recurso só funciona no Canva no modo online, mudei para o power point, pois não quis arriscar que a internet pudesse não funcionar no evento no momento da apresentação.

Caso você queira arriscar ou não quiser usar gifs, o Canva oferece uma versão grátis, com acesso restrito a apresentações e elementos, que é muito boa. Além disso, é possível exportar a apresentação em pdf e utilizá-la no modo offline.

8. Testar a palestra antes do momento real oficial

Para treinar a apresentação, o material e o tempo, apresentei para colegas de diferentes áreas de conhecimento (design, marketing, estratégia) no meu local de trabalho. Todos me ajudaram de forma genuína, dando feedbacks e ideias sobre apresentação. Sou muito grata por poder contar com esse apoio, pois além de me preparar, consegui adaptar alguns pontos da apresentação que fizeram a diferença para o evento. Essa apresentação foi realizada uma semana antes do evento e foi levado muito à sério, pois apresentei como se estivesse “valendo”, com os slides finais, tempo cronometrado e como se não conhecesse a plateia que me assistia. Foi muito importante, pois além de melhorar todos os aspectos da apresentação, fez com que eu me sentisse mais confiante para o evento.

9. Confiar no preparo e capacidade

A preparação do material, da fala e do conteúdo é fundamental, pois ajuda a minimizar a ansiedade e aumentar a segurança. Por isso, é importante confiar no processo, acreditar na capacidade de apresentar e ter convicção de que o preparo foi realizado da melhor forma possível. Para me sentir mais segura e confiante, busquei feedbacks ao longo da construção da palestra, pesquisei referências, treinei a apresentação sozinha e também para os meus colegas. Neste processo foi importante estar aberta a críticas, para receber feedbacks da melhor forma e ter o melhor resultado com isso.

Essa foi a primeira vez que palestrei na Stadium do The Developers Conference, auditório principal do evento onde as palestras contaram com transmissão ao vivo e tradução para espanhol. Foi uma experiência importante para mim, pois aprendi muito com o processo de preparação, com a apresentação e conheci diversas pessoas incríveis durante o evento.

Fonte: https://www.eventials.com/Globalcode/tdc-bh-2019-stadium-quinta-7/

Apresentar uma palestra é um ato corajoso, pois mostra vulnerabilidade e abertura para se expor. É uma tarefa nada fácil e que tira as pessoas da zona de conforto. É um desafio pessoal e profissional com o qual se aprende muito sobre: autoconhecimento, exposição em público e também sobre o conteúdo que está sendo falado. Fiquei muito feliz de poder compartilhar com mais pessoas algo que foi feito com o time, os resultados que foram obtidos e principalmente tudo que se acertamos e erramos durante o processo. Com certeza aprendi muito com a preparação desta palestra e o esforço valeu e pena.

E você, tem alguma palestra em vista?

Acha que vai usar algumas dessas dicas? Compartilhe seu feedback :)

Para acessar o vídeo da palesta: Clique aqui.

Referências:

 
Share this